Estudantes Universitários de Riachão do Dantas podem ser impedidos pela prefeita Gerana Costa de usar o ônibus escolar

 Por decisão da prefeita municipal, um grupo de universitários de Riachão do Dantas poderá deixar de frequentar as aulas de seus cursos de nível superior por não usufruir do transporte escolar público fornecido pela prefeitura.
 O impedimento se dá em razão do decreto nº 171/2017, editado pela prefeita municipal, que visa regulamentar o serviço ofertado. 
 Neste decreto, a gestora municipal impõe cinco critérios que os estudantes devem contemplar para fazer jus ao uso do transporte, são eles: I – Residir no município há pelo menos 05 (cinco) anos; II - Ter registro no cadastro único, fornecido o Número de Inscrição Social (NIS); III – Não ter outra formação profissional; IV – Ter estudado em escola pública; V – Ter renda familiar de até 01 (um) salário mínimo e meio por família e/ou se encontrar em estado de vulnerabilidade social.
 Para os estudantes, a aplicação desses critérios previstos no decreto excluirá maior parte dos estudantes universitários do direito de usar o transporte. Eles afirmam que não existe necessidade de selecionar estudantes, porque não existe excesso de passageiros. Ainda segundo eles, a prefeita pretende perseguir os estudantes que participaram de manifestação pelas ruas da cidade na terça-feira 06 de junho, para que o transporte fosse mantido.
 A comissão de representantes dos estudantes esteve reunida com a prefeita na última segunda-feira 12 de junho. Nessa reunião, a prefeita afirmou que somente manteria o transporte escolar gratuito para todos até a sexta-feira, 16 de junho.
 Por essa razão, existe grande preocupação dos estudantes de não poderem ir às aulas a partir desta segunda-feira (19). Alguns estão em semana de prova, outros, concluindo o semestre. Deste modo, se estes forem impedidos de embarcar as consequências são exorbitantes, uma vez que eles não terão condições para concluir o semestre. 
 O problema que os estudantes universitários de Riachão do Dantas vêm enfrentando já se arrasta por mais de uma semana, tendo início na segunda-feira, dia 05 de junho, quando a prefeita Gerana Costa anunciou a suspensão do serviço. 
 Desde então, o drama persiste. De acordo com  eles, a preocupação com a possibilidade de ser impedido de usar o transporte público já afeta o rendimento escolar de alguns. 
 “O que queremos é só estudar. O munícipio precisa continuar investindo nos sonhos da juventude, a vaga em uma faculdade é conquistada com muitas horas de estudo, e não podemos perder dessa forma, pedimos a prefeita Gerana Costa que revogue o decreto nº 171/2017 e devolva a tranquilidade a todos os estudantes”, e continua: “a prefeita alega falta de recursos para custear o transporte, porém o município, custeia um micro ônibus que traz funcionário de Aracaju para trabalhar na prefeitura, muitos assumindo cargos de primeiro escalão, sem ônus nenhum para seus usuário, e nunca se soube que a prefeita tenha pensado em regulamentar esse transporte com um decreto como este”, afirma os integrantes da comissão representante dos universitários.

Nenhum comentário

Portal Tobiense

Beauty