Enem 2018: questões do primeiro dia abordaram refugiados, feminismo, nazismo e golpe de 1964

0
20
epa04955648 Migrants wait at the transit camp to board a train heading to the Serbian border, near the city of Gevgelija, The Former Yugoslav Republic of Macedonia, 29 September 2015. Thousands of migrants continue to arrive in Macedonia on their way to EU countries. After Hungary sealed its borders, migrants began taking an alternative route to Western Europe via Croatia. EPA/GEORGI LICOVSKI
Neste domingo, candidatos fizeram prova de Ciências Humanas, Linguagens e Redação

RIO – Neste domingo, os candidatos realizam as provas de Ciências Humanas, Linguagens e Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No primeiro dia do exame, apareceram tópicos como feminismo, nazismo, escravidão, golpe de 1964, crise de refugiados, entre outros.

Segundo a candidata Bruna Damasceno, de 19 anos, do Rio de Janeiro, esta foi uma das provas que mais abordou temáticas envolvendo políticas e questões sociais atuais. Em uma delas, foi abordado o feminismo com um recorte de raça, referindo-se especificamente às mulheres negras. Além disso, ela diz que uma questão tratava sobre nazismo.

De acordo com outra candidata, Lorena Santos, foi usado um poema de Graciliano Ramos e um texto sobre publicidade e racismo como base para questões de interpretação de texto. Ela deixou o Colégio Luiz Viana,  em Salvador, na Bahia, às 14h40 (15h40 pelo horario de Brasilia) e classificou a prova como “muito mais facil do que a dos tres anos anteriores”. Ela está fazendo o Enem pela quarta vez.

— Os textos foram bem mais objetivos do que os das edições anteriores — disse ela.

Já Érica Sodré Almeida, de 20 anos, também de Salvador, contou que a prova de Ciências Humanas abordou aspectos do governo do presidente João Goulart, que sofreu o golpe de 1964.

Siga aqui a cobertura do Enem 2018 em tempo real.

Leia também um modelo de “redação nota mil”.

Questões de ‘nível médio para alto’, diz professor

O diretor pedagógico do curso Descomplica, Cláudio Hansen, avalia que a prova do Enem 2018 foi mais difícil e explorou temas mais atuais do que a edição anterior, como questões de gênero, democracia e crise dos refugiados.

— Gostei muito da prova, teve um nível de médio para alto. Melhorou em relação ao ano passado, quando parecia mais distante em relação ao que vivemos na realidade — explica Hansen, que também é professor de Geografia. — Entre os temas mais explorados estão a escravidão, as culturas africanas, sustentabilidade, questões agrícolas e dinâmicas populacionais.

Entre os conteúdos não abordados e que foram recorrentes nas edições anteriores estão questões regionais do país, como a Amazônia e seus biomas.

— Houve uma maior cobrança de análise de gráficos e capacidade de leitura densa — afirmou ele.

Sobre a redação, Hansen afirmou que foi a parte mais atual da prova:

— Vivemos isso o ano inteiro, o aluno pode falar sobre a sua experiência. Por isso, pode ter sido considerado fácil para muita gente.

Segundo Everton Silva, professor de Linguagens do COC, na parte de Linguagens, o Enem manteve a tendência dos últimos anos e trouxe questões com base em interpretação de texto, variações linguísticas e uso de diferentes tipos de gêneros textuais, como literário e jornalístico. Como é de costume, o exame trouxe textos que abordavam questões sociais.

— Uma das questões interpretativas utilizou o resumo de um trabalho acadêmico que falava sobre como o negro era visto pela indústria de produtos de beleza, que reforçava a beleza do negro como menor e, por isso, que era necessário usar esses produtos para alcançar um certo padrão. É um texto que se posiciona em relação a uma questão social — destaca o professor.

Provas terminam às 19h

Neste domingo, os candidatos terão das 13h30 às 19h para resolver 180 questões e escrever o texto. No próximo domingo, os estudantes farão as provas de Ciências da Natureza e Matemática das 13h30 às 18h30.

O tema da redação é “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. Veja aqui o que professores acharam do tema escolhido.

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.