URGENTE – Irregularidades nos Agripino I, II e III. Ministério Público, Caixa e Prefeitura farão pente fino

0
472

O Ministério Público, recebeu uma série de denúncias de compra e venda ilegal de imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida, além de favoritismo político.

Na tarde desta terça-feira dia 29 de janeiro, numa entrevista exclusiva ao Jornalista Adissandro Pinheiro na rádio Xodó AM 1520, o Promotor de Justiça de Tobias Barreto, Dr. Paulo José, disse que o MP está fazendo um levantamento e providenciará uma operação PENTE FINO de médio porte nos conjuntos Agripino I, II e III.

“As denúncias são muito graves. Se ficar confirmado que a pessoa está ocupando o local irregularmente, a Caixa vai tomar as medidas para que possamos reintegrar à posse e repassar para famílias que realmente precisam. Quem comprou e quem vendeu vai perder”, afirmou o promotor.

Entre as denúncias mais graves estão o favoritismo político e a venda de casas, o que é proibido antes de terminar o prazo do financiamento, que é de 10 anos. Os beneficiários enquadrados na Faixa do Programa – famílias que ganham até R$ 1,8 mil mensais – não podem vender ou alugar o imóvel.

Em nota, a Caixa explica:

“A primeira iniciativa a ser adotada, será a averiguação se os beneficiários do programa estão residindo nos imóveis com os quais foram contemplados. Verificados indícios de não ocupação ou ocupação irregular, seja pela locação ou venda, os beneficiários serão notificados para que comprovem a ocupação regular do imóvel. Se comprovado o descumprimento contratual, ou caso o beneficiário não compareça no local indicado na notificação para prestar esclarecimento, será apresentada notícia-crime à Polícia Federal e terá início o processo judicial de rescisão do contrato e reintegração de posse do imóvel.”

O banco ainda alerta que o beneficiado que comercializa o imóvel não poderá participar mais de nenhum programa social.

 

Por: Adissandro Pinheiro
Jornalismo: Rede Xodó de comunicação.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.