Sergipe registra saldo negativo de empregos no mês de julho de 2018

0
19

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), indicou que, no sétimo mês do ano, houve saldo negativo de 302 empregos formais no estado. O saldo é fruto da diferença entre admissões (6.617) e desligamentos (6.919), no período.

No mês de julho do ano corrente, o setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública (grupo que inclui as empresas responsáveis pela distribuição de serviços essenciais, como água e energia elétrica) apresentou o melhor resultado, com a criação de 172 novos empregos. O bom desempenho deste setor está ligado à Coleta de Resíduos Não-Perigosos, que gerou 131 novos postos de trabalho.

O setor da Construção Civil registrou saldo positivo, o sétimo consecutivo, com a criação de 86 novos empregos, principalmente na Construção de Rodovias e Ferrovias e Montagem de estruturas metálicas, que geraram 45 e 41 novas vagas, respectivamente. A Agropecuária também apresentou saldo de 86 novos postos de trabalho, sendo que o principal gerador está ligado ao Cultivo de cana-de-açúcar, que criou 94 novos empregos.

Os demais setores registraram saldos negativos, o pior resultado foi observado no setor de Serviços, com a redução de 270 postos de trabalho, principalmente os ligados as atividades de Fornecimento e Gestão de Recursos Humanos para Terceiros(-192) e  Limpeza em prédios e em domicílios (-173).

Na indústria de transformação o saldo de empregos também ficou negativo, com a retração de 237 postos de trabalho, principalmente na Fabricação de calçados de couro, que contabilizou a redução de 89 postos de trabalho no mês em análise. Já, a Extrativa Mineral, registrou redução de 73 empregos, o Comércio contabilizou saldo negativo de 56 postos de trabalho e dez vagas a menos foram contabilizadas no Setor de Administração Pública.

No acumulado do ano, entre janeiro e julho, a Indústria de Transformação continua com saldo negativo de emprego, com retração de 1.973 vagas, a Agropecuária acumula redução de 1.741 empregos e o Comércio com 1.441 postos de trabalho a menos. Os setores de Extrativo Mineral e Administração Pública apresentaram redução de 151 e 101 trabalhos novos, respectivamente. Entretanto, no período analisado, apresentaram saldos positivos, com geração de novas vagas de empregos, os setores de Serviços, com a criação de 766 novos empregos, Construção Civil com a geração de 644 novos postos de trabalho e Serviços Industriais de Utilidade Pública, com 188 novas vagas.

Emprego nos municípios

Dentre os municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, a cidade de Aracaju apresentou o pior resultado no mercado de trabalho, com a redução de 421 postos de trabalho. Enquanto isso, o município de Capela, se destacou na geração de empregos, sendo criados 124 novos empregos, no mês de julho de 2018.

Fonte: Ascom / NIE-Fies

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.