Sergipe tem 120 mil crianças e adolescentes em atraso escolar

0
25

Quantitativo de crianças fora da escola é considerável, afirma especialista

Com o objetivo de discutir a educação, a saúde e o protagonismo dos adolescentes, representantes dos 46 municípios sergipanos inscritos no Selo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) – Edição 2017-2020 – se reúnem desde a manhã desta terça-feira (20), na Faculdade São Luís de França, no 3º Ciclo de Capacitação.

“Hoje os municípios estão trabalhando temas específicos, o primeiro e o segundo ciclos foram mais gerais sobre a metodologia, avaliação, temas gerais e forma dos municípios trabalharem com o Selo, hoje são temas mais específicos”, disse a consultora do Unicef e coordenadora do Selo Unicef, Ana Carla Carlos.

Segundo ela, o principal entrave e desafio é a sensibilidade dos gestores de priorizar questões das crianças e adolescentes. E a partir do Selo o município recebe capacitação e todos os guias de boas práticas para implementação das ações.

Na oportunidade, especialistas do Unicef apresentam estratégias para o fortalecimento e resolução de problemas pendentes em municípios sergipanos, como por exemplo a exclusão escolar.

“Hoje ainda temos no Brasil um quantitativo considerável de crianças e adolescentes fora da escola, o que para a gente é uma situação absurda, pois educação é um direito constitucional que deve ser garantido a toda e qualquer criança, mas o país ainda tem um trajeto longo para isso, todos os Estados brasileiros e nós temos uma estratégia específica de enfrentar a exclusão que se chama Busca Ativa Escolar”, disse a consultora de Educação do Unicef, Daniela Rocha.

Essa estratégia é intersetorial, pois liga três áreas importantes (educação, saúde e assistência social) para o município e é usada para identificar onde as crianças vivem, dentro das comunidades, nas famílias e trazer esse público de volta para a escola, inserindo em outros serviços públicos.

Além disso, as apresentações incluirão outras iniciativas de educação, como a Trajetórias de Sucesso Escolar, que aborda o enfrentamento da distorção da idade-série, formas de reverter a evasão escolar, a gestão da escola e a articulação com o território e relação escola-família-comunidade, além da apresentação de experiências pedagógicas de sucesso escolar no Brasil.

No Brasil, a Unicef estima que cerca de 7,2 milhões de crianças e adolescentes vivem em atraso escolar, dos quais cerca de 128 mil são sergipanos. Esse é outro problema que deve ser resolvido a partir das estratégias.

Para o articulador e presidente do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Aquidabã, Leonardo Siqueira, o evento é importante porque apresenta a efetividade de políticas públicas, ou seja, apresenta de forma clara quais os encaminhamentos que devem ser tomados.

“Eventos como esse nos fortalecem e nos encaminham a pontos estratégicos, ou seja, mostrando o foco a ser dado para que os municípios alcancem os objetivos. É priorizar a criança e o adolescente”, disse Leonardo.

A agenda inclui também orientações para políticas de tratamento adequado da sífilis congênita e relatos de experiência dos Núcleos da Cidadania dos Adolescentes (NUCAs) instalados nos municípios participantes.

* Estagiário sob supervisão da jornalista Fernanda Araujo.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.